Como as metodologias ágeis podem auxiliar na transformação digital?

|

A transformação digital está redefinindo produtos e serviços que uma empresa oferece, agregando tecnologia, rompendo as fronteiras entre os mundos físico e virtual e transformando a forma como a empresa se conecta e se comunica com seus clientes e parceiros.

Para se conectar digitalmente a um mercado tão dinâmico e tão cheio de incertezas, é fundamental que as empresas mudem seu mindset e caminhem por um processo de transformação ágil, que permita unir negócio e tecnologia com a finalidade de prover uma experiência única ao usuário. Por isso, as metodologias ágeis despontam como uma forma de gerenciar projetos  que estão propensos a mudanças e precisam de entregas rápidas e frequentes. A ideia surgiu em 2001, a partir do Manifesto Ágil, que é composto de quatro valores: comunicação, praticidade, alinhamento de expectativas e colaboração e adaptabilidade e flexibilidade.

Declaração de princípios que fundamentam o desenvolvimento ágil de softwares

Metodologias ágeis: Kanban, XP e Scrum

Existem vários tipos de metodologias ágeis  e muitas delas podem ser aplicadas não só em Tecnologia da Informação, mas em diversos setores. Um método muito simples e muito utilizado é o Kanban, que em japonês significa registro ou placa visível, e pode ser feito com post-its colados em um quadro físico, ou virtualmente usando ferramentas online como o Trello. A organização é feita em etapas: TO DO, com as tarefas que precisão ser feitas, DOING, com as demandas que estão em processo, e DONE, com os trabalhos que já foram finalizados.

O XP ou eXtreme Programming é um método de gestão ágil baseado nos valores comunicação, simplicidade, feedback, coragem e respeito. Como o nome mesmo já diz, nesse esquema, durante a execução do projeto, as práticas devem ser levadas ao extremo. Dentre elas o sustainable pace, em  que as semanas devem ter 40 horas de trabalho sem horas extras, já que a programação exige atenção e para isso a mente deve estar descansada para produzir um trabalho de qualidade.

A mais popular é o Scrum, um framework de gestão para o desenvolvimento de projetos de software, em que o product owner ou dono do produto é responsável por gerenciar projetos e elencar uma lista de tarefas, também chamada de backlog, por escala de importância para o development team ou equipe de desenvolvedores.

O Scrum tem uma concepção bastante simples, em que o projeto deve ser verificado regularmente se está indo para o caminho correto e se o que está sendo construído é realmente o que os clientes querem. Além disso, o time deve se auto avaliar constantemente para aprimorar seus trabalhos e obter resultados melhores e mais rápidos. Para sustentar essa concepção existem os três pilares do Scrum: Transparência, Inspeção e Adaptação.

A AGL e o desenvolvimento ágil de softwares

Por ser uma prática baseada em comunicação e simplicidade, o método ágil é indicado para equipes menores, eficientes e multidisciplinares, tal qual o time que compõe a AGL, que se baseia nesses valores para aumentar a sinergia e entregar softwares com soluções personalizadas em um intervalo de tempo otimizado.

A engenharia de softwares deve ser flexível e ágil, de forma que os processos não sejam burocráticos, causando lentidão e atrasos na entrega final para o cliente. E para acompanhar a velocidade com que a Tecnologia da Informação avança e trazermos as melhores soluções para as necessidades do cliente, trabalhamos com o desenvolvimento ágil de softwares e usamos a tecnologia GeneXus para elaborar novas funcionalidades  e integrar as aplicações a outros sistemas. Também contamos com a versão GeneXus for SAP, que integra aplicações web e mobile com as versões SAP ECC e S/4HANA.

A AGL acompanha a transformação digital, fale conosco e descubra como aplicar o desenvolvimento ágil de softwares em seu processo.